O que são as corretoras de criptomoedas e como funcionam?

Hoje em dia, há uma enorme variedade de corretoras de criptomoedas no mundo. E não é para menos, já que é esse mercado que não para de crescer e é importante que os espaços de troca de criptomoedas estejam cada vez mais acessíveis.

Corretoras de cripto: para que servem?

Também conhecidas como crypto exchanges, são plataformas que permitem que todos nós possamos fazer transações cripto de compra, venda, entre outras, com absoluta confiança, conforto e transparência.

Uma exchange funciona como ponte entre investidores interessados no mundo das criptomoedas e os projetos que surgem diariamente, tanto em relação às novas cryptos como a outros tipos de tokens. Nelas, você pode comprar ativos, vender, fazer cripto staking, ganhar lucros com suas criptomoedas (como no Lemon Earn), acompanhar as cotações diárias e realizar muitas outras operações.

Uma corretora crypto é um painel para você viver essa experiência plenamente.

Como funciona uma crypto exchange?

Quando você for escolher uma plataforma para operar criptomoedas, a primeira coisa que tem que fazer é criar uma conta. Neste processo, você precisa se registrar, baixar um aplicativo para trade e configurar seus protocolos de segurança. Uma vez que termine o processo, é hora de depositar reais na sua conta para começar os exchanges.

Com saldo disponível na sua conta, você pode comprar a criptomoeda de sua preferência, seja para fazer investimentos a longo prazo ou aplicar em outras formas de investimento, como a compra fracionada de ativos.

A maioria das corretoras crypto costuma exibir gráficos de flutuação de preços, entre outras funcionalidades para que seus usuários tenham a melhor noção possível se os mercados estão em alta ou baixa naquele momento.

E como o mercado das criptomoedas é bastante volátil, é fundamental saber bem onde você está criando uma posição. Para tanto, ferramentas de monitoramento ajudam a tomar as melhores decisões na hora de operar. Todas as plataformas estão pensadas para tornar a visualização dos preços e as operações o mais simples possível.

corretoras crypto: imagem de dolares se convertendo em bitcoins

Quais são as principais corretoras de criptomoedas?

Há vários tipos de cripto exchanges. Sua categorização vai depender da forma como elas funcionam. Basicamente, existem dois tipos de corretoras de criptomoedas:

Exchanges Centralizadas

São organizações que fazem a custódia de nossas criptos e têm um registro interno dos proprietários e de seus ativos em crypto. Pode pensar nelas como um tipo de  entidade financeira que facilita o seu comércio de criptoativos.

E já que custodiam nossos ativos, as corretoras de criptomoedas centralizadas se responsabilizam por mostrar qual é nosso patrimônio total e quais são as transações que podemos fazer de acordo com nossos saldos e tipos de ativos.

Uma crypto exchange é como se fosse um banco que guarda todos os nossos recursos financeiros e mantém o registro de nossas criptomoedas, além da contabilidade geral associada às nossas transações. Ou seja, o patrimônio de um usuário não permanece discretamente sob seu controle.

Exchanges Descentralizadas (DEX)

Este tipo de corretora de criptomoedas está baseada em contratos inteligentes, ou smart contracts, que são códigos de computador automáticos que se executam quando se satisfaz alguma condição específica e disparam uma ação relacionada como resultado.

Vamos dar um exemplo, quando você quer trocar bitcoin por ether, tem BTC para a conversão e sua chave privada. Neste caso, você tem controle de tudo. Do outro lado, que fosse o dono dos ETH, também seria o proprietário dos mesmos e teria sua chave privada.

Neste caso ➡️ ambos são responsáveis por seus próprios ativos. Para realizar a troca entre ambos os usuários, um contrato inteligente funciona como um mecanismo que nenhum dos dois controla e se encarrega da troca de ativos, sem risco de que alguma das partes se aproveite e tire vantagem da outra.

Ou seja, se um dos usuários não atende às regras definidas pelo  contrato inteligente, que define todos os procedimentos da transação, o resultado estará de acordo com o que os códigos têm impressos em seu sistema.

Quando se atendem a todos os requisitos do contrato, tanto os que estão comprando como os que estão vendendo vão realizar suas operações entre si de forma transparente e funcional.

Por outro lado, se alguma das partes não atende algum dos protocolos que regem as transações P2P, o contrato não processa a operação até que tudo que seu código pede seja atendido.

Resumindo: se o usuário 🅰 envia suas crypto e o usuário 🅱 também, neste exemplo hipotético, cada um recebe sua contraparte e o contrato é finalizado.

⚠️ Detalhe importante: para poder operar em uma DEX, você precisa ter seus ativos em uma carteira de criptomoedas. Seja ela uma cold ou uma hot wallet, é delas que você vai enviar as cryptos para o endereço do smart contract que vai finalizar a transação.

Há várias carteiras de criptomoedas com extensões para navegadores (browsers como o Chrome ou Opera, entre outros) que podem ser operadas de forma mais simples e menos sujeita a erros. Assim funcionam as exchanges descentralizadas.

Exchanges e criptomoedas, quais são as incluídas?

Cada corretora de criptomoedas tem um catálogo de cryptos e de tokens que é capaz de operar. É difícil precisar qual é a opção mais popular entre Bitcoin, Ethereum, Lite Coin, Solana, Mana, etc.

Bitcoin é quem mantém todo o ecossistema cripto e lidera todas as cotações, tanto próprias como a dos tokens de criptomoedas que estão aderidas à essa rede.

Em paralelo, a Ethereum, criadora do ether, é a blockchain que permitiu que surgissem sistemas descentralizados dentro de sua plataforma. De fato, dia após dia, esta blockchain ganha mais espaço na sua configuração em relação à descentralização, transparência e acesso universal.

Entendeu melhor o que são as corretoras de criptomoedas e como funcionam? Siga aprendendo mais sobre esse mundo, confira os outros posts de nossa wiki!