O que é Polkadot, a blockchain das blockchains?

Polkadot é um projeto que busca conectar blockchains entre si, permitir a interoperabilidade entre cadeias diferentes e manter suas respectivas propriedades, tudo através de um processo conhecido como multi-cadeia.

Além disso, esse soft propõe uma solução de camada zero, ou layer-0. Quer entender melhor o que é Polkadot? Acompanhe nosso post até o final!

Untitled

O Que é Polkadot (DOT)?

Em primeiro lugar, por que se chama Polkadot?

Polkadot faz referência a polka-dots, ou seja, pontos (ou bolinhas), em inglês. Um bom ponto de partida para entender esse projeto é usar, como referência, um padrão visual branco com pontos dispersos.

Untitled 1

Hoje em dia, há vários projetos de redes, criptomoedas e blockchains que competem entre si e que solucionam problemas semelhantes, usam cadeias de blocos parecidas, mas que trabalham de forma isolada.

Voltando à analogia do padrão branco com pontos dispersos, cada ponto seria uma blockchain. E é exatamente por isso que a Polkadot é tão importante: ela permite que essas cadeias se conectem entre si.

Imagine que você tem uma superfície enorme, cheia de pontos, e que você pode desenhar linhas e ligá-los uns aos outros. Cada ponto representa uma cadeia individual de blocos, e quando você faz uma linha entre cada um, consegue conectar todos os diferentes projetos.

Untitled 2
O que é Polkadot? Uma blockchain que pode ser descrita como multi-cadeia

A Polkadot é uma blockchain que pode ser descrita como multi-cadeia, ou multi-chain, ou seja, uma “cadeia de blocos feita de cadeias de blocos”.

Sendo assim, a Polkadot é uma das várias blockchains que competem entre si com o objetivo de fazer com que o ecossistema de criptomoedas cresça. Outros exemplos deste tipo são a Cosmos (ATOM) e a EOSIO (EOS).

Por que a Polkadot é tão revolucionária dentro do mundo blockchain?

Um dos maiores problemas do mundo crypto é a falta do que se chama interoperabilidade, ou seja: há várias cadeias de blocos trabalhando em rede, mas sem a capacidade de interagir entre si.

Neste sentido, a Polkadot é, em sua essência, uma forma de facilitar  tanto a criação como a interconexão de blockchains.

Ainda que as cadeias do Bitcoin, Ethereum, Cardano, entre outras, sejam muito boas isoladamente, elas precisam interagir entre si de alguma forma simples. Aqui é onde entra a blockchain da Polkadot, ao funcionar como algo conhecido como “uma função de camada zero, ou layer-0 function“.

Layer-zero function: a inovação da Polkadot

Untitled 3

Como acabamos de citar, a Polkadot está construída como uma rede de camada 0, ou seja, serve como base para todas as outras capas.

Com a Polkadot, as blockchains podem interoperar umas com as outras e trabalhar na mesma rede, em conjunto com outras cadeias criadas com protocolos de camada 1 (ou layer-1).

BTC e ADA são exemplos de blockchains de camada 1.

A camada zero é a primeira, entre todos os protocolos de blockchain, e se conecta perfeitamente com os demais protocolos na hora de construir cadeias interconectadas.

A escalabilidade é um dos maiores obstáculos para as soluções baseadas em blockchain. Por isso, o protocolo Layer-0 oferece uma solução ideal para solucionar o dilema da escalabilidade do ecossistema crypto, e isso sem modificar os protocolos subjacentes das redes que já existem.

A Polkadot também permite que os usuários criem novos negócios e dApps baseados em blockchain, validem esquemas de fontes de dados e muito mais.

Como a Polkadot funciona?

Em essência, a Polkadot é uma blockchain que aplica um mecanismo de consenso chamado Prova de Participação, ou Proof of Stake, e conecta outras blockchains entre si.

Mas, como é que essa interconexão acontece?

A Polkadot tem dois componentes principais: uma cadeia de retransmissões conhecida como Relay Chain e as diferentes parachains que existem na rede.

Na prática, a Polkadot é uma rede multi-cadeia interconectada por uma Relay Chain central que lhe permite processar dados e transações em várias cadeias em paralelo, conhecidas como parachains.

Sua arquitetura fragmentada divide a rede em segmentos individuais, ou simplesmente fragmentos.

Dessa forma, a capacidade de executar transações aumenta, já que elas podem ser processadas em paralelo por cada fragmento, ao invés de sequencialmente, na rede completa, como no caso das cadeias de blocos das gerações anteriores.

Resumindo: múltiplas parachains podem se conectar com a Polkadot, com a garantia de segurança e transparência na rede completa. Isso  melhora a escalabilidade, a interoperabilidade e a funcionalidade entre as cadeias, ao mesmo tempo em que elimina congestionamentos e altas tarifas.

Quando aplica o mecanismo de Consenso de Prova de Participação em sua blockchain, a Polkadot requer que os nós de validação (computadores que participam da rede), bloqueiem pelo menos 10.000 DOT, o token usado pela rede Polkadot.

O protocolo garante que aqueles que validam a blockchain tenham que estar financeiramente comprometidos com o projeto e com seu futuro.

Conheça DOT: o token nativo da Polkadot

DOT é o token nativo da rede Polkadot e tem o objetivo cumprir  as três funções mais importantes da plataforma:

1. Implementar governança na rede

Ou seja, permitir que os detentores de DOT participem das ações de governança da plataforma.

Nessa atividade, estão incluídas a definição das tarifas da rede, da dinâmica de sua oferta e do cronograma para incorporar parachains, além de eventos como atualizações e correções na plataforma.

2. Operar a rede

Isso cria o consenso que dá suporte à Polkadot.

Para que a plataforma funcione e permita que as transações válidas sejam executadas nas parachains, a Polkadot depende da participação ativa dos seus detentores.

Na prática, isso significa que os participantes colocam seus DOT em “risco” para cumprirem suas funções, o que desestimula a participação de usuários com más intenções nessa rede.

Disclaimer: O DOT solicitado para participar da rede varia segundo a atividade realizada, a duração da participação do DOT e o número total de DOT participantes.

3. Criar parachains que unam os DOT

O usuário tem capacidade de adicionar novas parachains conectando um DOT, o que se conhece como “bonding”, ou “staking“. O DOT fica bloqueado durante seu período de vínculo e é devolvido à conta de quem os uniu após o transcurso do período.

Como comprar DOT?

Para comprar DOT na Lemon, você precisa:

  • ser maior de 18 anos;
  • criar uma conta usando um e-mail válido;
  • verificar sua identidade com uma selfie e uma foto do seu RG

Além disso, você precisa ter uma conta bancária para poder depositar reais no app, ou fazer uma transferência a partir da conta de algum amigo ou familiar.

#Passo 1: baixe o app

Você pode fazer isso de forma totalmente gratuita, em qualquer dispositivo móvel no Brasil. Somente usuários maiores de 18 anos podem usar o aplicativo.

#Passo 2: crie sua conta

Na sequência, você vai criar uma conta usando um e-mail válido e seguir os passos indicados pelo aplicativo.

#Passo 3: verificar sua identidade

Você pode validar sua identidade enviando uma selfie e uma foto do seu RG. Essa etapa é obrigatória para conseguir usar o aplicativo.

#Passo 4: depositar reais na Lemon

Chegou a hora de depositar reais no aplicativo para poder comprar criptomoedas. Em “Início”, selecione “Depositar”. Nessa parte, você vai ver um código PIX. Copie esta informação e, no seu homebanking ou conta virtual, faça uma transferência para esse PIX. Seus reais serão creditados em instantes.

#Passo 5: compre criptomoedas

Uma vez que você tenha reais na sua conta Lemon, você pode entrar na sua carteira e comprar a criptomoeda que queira ou DOT.

Entre em “Comprar” e escolha o valor, em reais, que quer converter.

Na tela, você verá a quantidade equivalente em USDT. Na Lemon, você pode comprar criptomoedas a partir de R$ 1,00.