Tudo sobre nós de Blockchain

As blockchains são como livros-caixa distribuídos que mantém todo o histórico das transações de uma criptomoeda em particular que já foram feitas em uma rede.

Tente visualizar uma blockchain como uma sequência de blocos, como uma corrente, onde todas as operações que foram consideradas legítimas ficam armazenadas linearmente

Até aí, tudo bem, certo? Mas se alguém te perguntar onde essa cadeia toda está, o que você diria

A resposta é simples: ela existe nos nós. Cada nó conserva uma cópia idêntica de todas as transações de uma blockchain

➡️ Sempre que um novo bloco de transações é adicionado à blockchain, ele é compartilhado entre todos os nós, para que todos mantenham uma mesma cópia da mesma base de dados

Mas nem todo nó é igual! Com isso dito, convidamos você a seguir com a leitura da Lemon Wiki de hoje para detalhar tudo sobre nós de uma blockchain.

nó blockchain conversando com outros

Primeiro, o primeiro: o que é um nó blockchain?

Você já deve ter ouvido falar que uma blockchain é “distribuída” e “P2P”. Isso acontece exatamente porque os nós são responsáveis por armazenar a base de dados correta, com todas as transações passadas e de forma distribuída, validando as transacções uns dos outros na rede.

Em computação, um nó é um ponto de conexão dentro de uma rede de comunicação de informações. 

Ou seja, na tecnologia blockchain, é um tipo de dispositivo que cria, recebe, envia e armazena informações quando se comunica com outros nós da rede, seus ‘vizinhos’.

Visualizemos melhor com um exemplo prático:

Imagine uma rede composta por um computador, uma impressora e um roteador de internet. Cada um destes dispositivos é um nó e todos se comunicam entre si. 

A impressora está ligada ao computador por meio de um cabo e compartilha a informação de uma imagem digitalizada. 

O router recebe os dados da Internet e compartilha isso via WiFi com o computador. 

Graças a estas conexões, o computador pode enviar um e-mail contendo a imagem que recebeu da impressora. 

Em resumo: os três nós trocam informações de um lado para outro e complementam-se mutuamente.

Uma blockchain funciona de forma parecida, com a única excepção de que todos os nós desempenham a mesma função. Embora existam diferentes tipos de nó, todos eles executam o código de rede e verificam se as regras estão sendo seguidas.

Qual é a função dos nós Blockchain em relação aos tipos?

Agora você já sabe o que é um nó na blockchain, mesmo assim, já deve ter ouvido falar de nós validadores, nós mineradores (mining nodes) e nós completos (ou full nodes).

Fique tranquilo, porque, realmente, há vários tipos de nós e suas funções podem parecer confusas, mas segue com a gente que vamos explicar cada o que é cada nó blockchain!

Nó validador

São os nós que verificam transações e adicionam blocos em blockchains do tipo Proof-of-Stake

Esses nós, geralmente, precisam ter uma certa quantidade de criptomoedas bloqueadas como forma de garantia. Usuários que tenham uma cripto em particular podem ‘emprestar’ seus ativos para um stake pool. 

Como recompensa, os nós validadores que oferecem este serviço, protegem e fazem uma rede funcionar, ganham unidades do token nativo da rede em que operam como validadores. 

Nó minerador

Quando alguém se pergunta como minerar no blockchain, a resposta vem exatamente dos nós mineradores. 

Eles são análogos aos nós validadores, só que com protocolos de consenso do tipo Proof of Work (Prova de Trabalho)

Neste tipo de nó, para que tenha o direito de criar blocos e ganhar a recompensa, não é necessário bloquear criptomoedas, e sim oferecer poder de processamento sob forma de hardware

Os nós mineradores precisam investir em equipamentos especializados (como placas de vídeo) e energia elétrica suficientes para realizar o trabalho demandado pela blockchain. 

Nó completo (full node)

Este tipo de nó leva esse nome porque armazena a totalidade das informações de uma blockchain

Ouo seja, se você pegar um full node bitcoin, por exemplo, vai encontrar uma cópia de todas as transações que foram feitas na rede do BTC ou, ao menos, uma prova delas. 

Além disso, os nós completos estão o tempo todo recebendo e verificando novas transações. Entretanto, se não se propõe a gerar novos blocos, não recebem nenhuma recompensa por isso. 

Entre pro jogo: o que você precisa pra ser um nó validador?

Os requisitos para executar um nó validador variam de rede para rede, mas são geralmente são bem parecidos. 

Vamos ver o que é preciso para fazer parte dos nós blockchain que validam?

Capital

Como dissemos antes, para rodar um nó validador e receber as recompensas, é necessário bloquear uma certa quantidade de criptomoedas

Ao exigir isso, a rede garante que temos skin in the game (ou seja, que temos algo a perder). Se nos comportarmos de forma desonesta, podemos perder algumas dessas cryptos. 

A quantidade mínima exigida varia de rede para rede, por exemplo: 

    • Ethereum: 32 ETH
    • Polkadot: 17.000 DOT
    • BNB Chain: 10,000 BNB
    • Avalanche: 2000 AVAX

Conhecimentos técnicos

Atualmente, o procedimento para baixar e executar um nó na maioria das redes não é difícil. 

Há muita documentação detalhada que podemos seguir, com um passo a passo para começar a valildar transações Proof-of-Stake. 

Ainda assim, é aconselhável ter alguns conhecimentos técnicos. Com tudo configurado, uma vez que os nós estejam em funcionamento, não requerem muita manutenção, mas as atualizações e problemas vão demandar sua atenção. 

Hardware

As blockchains Proof-of-Stake têm requisitos de hardware muito menores do que as redes Proof-of-Work. 

Ainda assim, há questões a considerar. Como todas as transações e blocos têm de ser armazenados, há uma quantidade mínima de memória necessária, que dependerá do tamanho da rede. 

Além disso, os nós têm de estar online 24/7, então é imprescindível ter uma excelente conexão com a internet. De acordo com a documentação oficial do Ethereum, estes são os requisitos de hardware recomendados:

    • CPU com mais de 4 núcleos
    • 16GB DE RAM
    • SSD com pelo menos 500GB de espaço disponível 
    • Mais de 25 MBit/s de banda larga

Como podemos ver, não é exatamente fácil correr um nó validador numa blockchain Proof of Stake. A dificuldade deve-se principalmente ao capital necessário para começar

Mesmo assim, existem maneiras de que os pequenos investidores tirem partido do staking sem correr o seu próprio nó. Isto vem sob a forma do que se conhece como delegação.

O que é a delegação de criptomoedas? 

A delegação consiste em depositar as suas criptomoedas no nó de um terceiro para que o mesmo possa validar as transações e devolver uma parte dos lucros para você. 

Assim, qualquer um pode começar com muito pouco capital e não ter a responsabilidade de manter um nó ativo.

Algumas blockchains, como Cardano e BNB Chain, têm uma delegação nativa. Ou seja, o próprio protocolo admite a delegação de moedas em nós validadores. 

No caso da Ethereum, como não existe uma opção nativa, existem aplicações descentralizadas que prestam este serviço. Esses DApps funcionam como pools que recolhem cryptos dos usuários e os vinculam a um nó validador.