Você já deve saber que as redes de software aberto são baseadas em cadeias de blocos, também conhecidas como blockchains, certo?

19 abr 2022
'. $image_alt .'

Só que, além delas, também existem as sidechains, um elemento igualmente importantíssimo para o mundo crypto.

Quer saber para que serve uma sidechain e qual é sua relação com as blockchains? Hoje, vamos explicar tudo para você. Siga conosco!

O que é sidechain em crypto?

Quando falamos do mundo crypto, um monte de conceitos entram em jogo. Para entender melhor esse universo, é importante conhecer o que cada um significa.

Já sabemos que as plataformas de criptomoedas são sistemas de software de código aberto, baseadas em blockchain. Isso não só oferece mais segurança para os usuários como também deixa tudo mais prático.

Mas, além das blockchains, também encontramos o uso de sidechains em crypto.

Uma sidechain nada mais é do que uma cadeia de blocos paralela e complementar que permite que a blockchain principal funcione melhor e que seja mais rápida e eficiente.

Uma sidechain pode se conectar com uma blockchain e complementá-la. Depois que essa comunicação é estabelecida, ambas ‘se potencializam’ e resultam em um sistema combinado com maior capacidade de armazenamento, mais seguro e ágil.

Uma sidechain tem uma programação diferente da blockchain com a qual trabalha em conjunto. De fato, ela tem várias características únicas, mas, mesmo assim, isso não impede que as redes colaborem entre si e possam se comunicar.

Uma sidechain deixa a blockchain mais segura, só que por meio de seus próprios mecanismos, o que inclusive oferece mais independência.

Para que serve uma sidechain em criptomoedas?

Como objetivos principais, criar uma sidechain em criptomoedas serve para agilizar e complementar o funcionamento de uma blockchain, mas há muito mais.

Por exemplo, entre as finalidades de uma sidechain, podemos destacar a possibilidade de fazer transferências entre diferentes criptomoedas, como quando se envia um BTC à blockchain do ETH.

Graças à implementação de sidechains, aumenta-se a segurança, reduz-se a volatilidade, problemas de liquidez são solucionados e a minimiza-se a fragmentação de mercado.

Esse tipo de tecnologia é relativamente novo (começou em 2016), mas não parou de evoluir e melhorar suas contribuições para o mundo crypto desde então.

Atualmente, há vários projetos com tecnologia sidechain pensados para dar resposta a diferentes demandas e cumprir diferentes funções.

Entre as sidechains em desenvolvimento ou em fase de implementação, podemos destacar:

Liquid Network: uma sidechain que tem como objetivo agilizar as transações de BTC entre usuários ou entre pessoas e empresas.

RSK: um projeto concebido para melhorar a qualidade e a execução de contratos inteligentes.

Lisk: tanto uma plataforma como uma criptomoeda, a Lisk serve para que desenvolvedores possam criar aplicativos de cadeias de blocos em Javascript.

Sidechains, blockchains e criptomoedas

Falando de forma resumida, uma blockchain é uma cadeia de blocos que permite a criação de um registro seguro e descentralizado de transações em criptomoedas, e sem necessidade de um intermediário.

O que acontece é que as blockchains, às vezes, ficam saturadas de informações. Por isso, recorre-se ao uso de cadeias de blocos laterais, ou seja, as sidechains.

Neste sentido, uma sidechain é uma cadeia alternativa que permite melhorar as funcionalidades de uma blockchain existente, por meio de uma comunicação bidirecional.

Quando falamos de sidechains em blockchain, estamos nos referindo à possibilidade de criar um sistema integrado e mais completo para a existência de uma criptomoeda. Além disso, as sidechains também podem se comunicar entre si.

Criptomoedas e blockchain: por que são importantes?

Quando você pensa em blockchain e criptomoedas, deve entender que é na cadeia de blocos que ficam armazenadas e organizadas todas as informações digitais relacionadas às ações executadas com cryptos.

Por exemplo, podem ser feitas transações, operações e até mesmo serem criadas novas criptomoedas graças às redes de blocos de informações.

Outro aspecto muito interessante sobre as blockchains é o fato de que seu sistema está pensado para que os próprios usuários tenham o controle de seus investimentos.

Não é preciso que uma entidade central controle as ações das pessoas, que têm total liberdade sobre seus ativos criptográficos.

De fato, essa autonomia é exatamente uma das maiores diferenças entre o mundo crypto e os mercados financeiros tradicionais.

Podemos destacar três aspectos-chave das criptomoedas e das blockchains:

  1. A criptografia, que permite que cada bloco seja identificado de forma única.
  2. Os usuários de cada rede, que devem verificar e aprovar as informações que circulam nelas.
  3. A impossibilidade de que seus registros sejam alterados.

Diferença entre sidechain e Layer 2

Uma sidechain é uma cadeia de blocos lateral e complementar. Para entender a diferença entre uma sidechain e uma blockchain de Layer-2, é preciso ir por partes.

Antes de qualquer coisa, é importante saber o que é uma rede de Layer-1. Usa-se esse termo para definir as blockchains criadas como sistemas descentralizados.

A Bitcoin e a Ethereum são dois exemplos disso. A Layer-1 também pode ser entendida como a chain principal ou de primeira camada.

Já uma Layer-2 é um conjunto de ferramentas e soluções que permitem que a Layer-1 seja ampliada em relação à escalabilidade, já que, nela, podem ser executadas diversas transações.

Com isso dito, vale a pena traçar um paralelo para diferenciar as funções de uma sidechain e de uma Layer-2 em relação à rede principal.

O mais importante é entender que a principal diferença tem a ver com a segurança.

Uma sidechain conta com mecanismos próprios para garantir sua integridade: quando se conecta à rede principal, ela potencializa a fortaleza do sistema como um todo.

Já no caso das Layer-2, elas dependem dos mecanismos de defesa do sistema da Layer-1.

Entendeu melhor o que é uma sidechain e como funciona? Conhecendo mais informações, você tem mais segurança para viver a experiência do mundo crypto com mais segurança.

São muitos os elementos, conceitos, definições e aplicações que você vai encontrar quando mergulhar na nova economia digital. Saber mais significa diretamente poder aproveitar o máximo potencial de seus investimentos.

Hoje nós vimos a importância e as possibilidades de uso de uma sidechain nas redes de criptomoedas. Também vimos como elas podem se comunicar e potencializar suas capacidades mútuas, além das diferenças entre sidechain e blockchains de Layer-2.

Quer continuar aprendendo? Não deixe de dar uma olhada em mais posts de nossa wiki!

Você gostou do artigo?

Compartilhe!